xmlui.ArtifactBrowser.ItemViewer.show_simple

dc.contributor.authorAzevedo, Raimunda do Socorro da Silva-
dc.contributor.authorBarros, Vera Lúcia Reis de Souza-
dc.contributor.authorMartins, Lívia Caricio-
dc.contributor.authorCruz, Ana Cecília Ribeiro-
dc.contributor.authorRodrigues, Sueli Guerreiro-
dc.contributor.authorVasconcelos, Pedro Fernando da Costa-
dc.date.accessioned2018-02-07T14:17:31Z-
dc.date.available2018-02-07T14:17:31Z-
dc.date.issued2010-
dc.identifier.citationAZEVEDO, Raimunda do Socorro da Silva et al. Estudo experimental sobre a patogenicidade do Vírus Ilhéus em hamsters dourados (Mesocricetus auratus). Revista Pan-Amazônica de Saúde, v. 1, n. 1, p. 73-80, mar. 2010. Disponível em: <http://scielo.iec.gov.br/pdf/rpas/v1n1/v1n1a11.pdf>. Acesso em: 26 fev. 2018.pt_BR
dc.identifier.issn2176-6223-
dc.identifier.urihttp://patua.iec.gov.br//handle/iec/2930-
dc.description.abstractVisando investigar a patogenicidade do Flavivirus Ilhéus (VILH) foi inoculada, via intraperitoneal, 9,8 DL de suspensão 50 viral em hamsters dourados jovens (Mesocricetus auratus) e, diariamente, soros e vísceras (cérebro, fígado, coração, baço, rins e pulmões) de animais infectados e de controles não-infectados foram obtidos sob anestesia. Durante o experimento foi determinado o título viral do VILH em soros e vísceras infectados, em camundongos recém-nascidos. Ademais, a detecção de antígeno e os níveis de anticorpos por testes de fixação do complemento e inibição da hemaglutinação foram realizados nos soros. Exame histopatológico por HE e a detecção de antígenos virais por Imunohistoquímica (IHQ) foram realizados nos tecidos dos animais. A dose inoculada ocasionou a morte dos animais por encefalite no sétimo dia pósinoculação. Todos os órgãos estudados apresentaram alterações teciduais detectáveis por histopatologia. Volumosa presença de antígeno viral foi detectada por IHQ no cérebro, e, em menor quantidade, no fígado, baço e rins; porém, nestes órgãos, a presença de antígeno viral foi transitória e de leve intensidade, o que corroborou com os títulos virais obtidos nesses órgãos. Não foram encontrados antígenos virais em coração e pulmões, sugerindo que os títulos (DL ) 50 observados nesses órgãos, durante a titulação em camundongos, decorreram da presença do VILH na corrente sanguínea (viremia). Os achados deste estudo reforçam o importante e conhecido neurotropismo do VILH.pt_BR
dc.description.abstractThe pathogenesis of the Ilheus flavivirus (Flaviviridae) was investigated in golden hamsters (Mesocricetus auratus) using an inoculum of 9.8 LD via intraperitoneal (IP). For ten days, two infected and one control animals were anesthetized, and 50 blood and viscera fragments (brain, liver, heart, lung, spleen and kidneys) were collected on a daily basis for determination of viral titers in newborn mice and antigens/antibody by complement fixation and hemagglutination inhibition tests. Additionally, the pathology of animal tissues was studied by the the hematoxylin and eosin method, viral antigens were detected by immunochemistry, and all collected viscera showed histopathological changes. Large amounts of ILHV antigens were detected by immunohistochemistry in the brain, and in lower quantities in the liver, spleen and kidneys, corroborating with newborn viral titers in them. This inoculum resulted in a fatal outcome of all infected animals seven days after experimentation. Viral antigens were not found in the heart and lungs, suggesting that the viral titers obtained were caused by viremia and not by viral damage. The information in this study confirms the neurotropism and neuropathogenicity of ILHVpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherInstituto Evandro Chagaspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.titleEstudo experimental sobre a patogenicidade do Vírus Ilhéus em hamsters dourados (Mesocricetus auratus)pt_BR
dc.title.alternativePathogenesis of the Ilheus virus in golden hamsters (Mesocricetus auratus)pt_BR
dc.title.alternativeEstudio experimental sobre la patogenicidad del Virus Ilhéus en hámsteres dorados (Mesocricetus auratus)pt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.subject.decsPrimaryFlaviviruspt_BR
dc.subject.decsPrimaryEncefalite por Arboviruspt_BR
dc.subject.decsPrimaryVirulênciapt_BR
dc.subject.decsPrimaryModelos Animaispt_BR
dc.creator.affilliationMinistério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Instituto Evandro Chagas. Ananindeua, PA, Brasil.pt_BR
dc.creator.affilliationMinistério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Instituto Evandro Chagas. Ananindeua, PA, Brasil.pt_BR
dc.creator.affilliationMinistério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Instituto Evandro Chagas. Ananindeua, PA, Brasil.pt_BR
dc.creator.affilliationMinistério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Instituto Evandro Chagas. Ananindeua, PA, Brasil.pt_BR
dc.creator.affilliationMinistério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Instituto Evandro Chagas. Ananindeua, PA, Brasil.pt_BR
dc.creator.affilliationMinistério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Instituto Evandro Chagas. Ananindeua, PA, Brasil / Universidade do Estado do Pará. Belém, PA, Brasil.pt_BR
dc.identifier.doi10.5123/S2176-62232010000100011-


xmlui.dri2xhtml.METS-1.0.item-files-head

Thumbnail

xmlui.ArtifactBrowser.ItemViewer.head_parent_collections

xmlui.ArtifactBrowser.ItemViewer.show_simple