xmlui.ArtifactBrowser.ItemViewer.show_simple

dc.contributor.authorCosta, O. R-
dc.contributor.authorAzevedo, M. C-
dc.contributor.authorMaroja, R. C-
dc.date.accessioned2018-09-27T14:03:23Z-
dc.date.available2018-09-27T14:03:23Z-
dc.date.issued2002-
dc.identifier.citationCOSTA, O. R.; AZEVEDO, M. C.; MAROJA, R. C. Inquérito parasitológico entre crianças, realizado em seis municípios da zona bragantina, Estado do Pará, em 1950 (Publicado originalmente em 1995). In: INSTITUTO EVANDRO CHAGAS (Belém). Memórias do Instituto Evandro Chagas, v. 6. Belém: Instituto Evandro Chagas, 2002. p. 281-309. (Produção científica, v. 6)pt_BR
dc.identifier.issn85-86784-07-9-
dc.identifier.urihttp://patua.iec.gov.br//handle/iec/3416-
dc.description.abstractÊste trabalho apresenta os resultados de um inquérito parasitológico, realizado antes da instalação de serviços sanitários pelo SESP na zona da EFB, no Estado do Pará; Se os métodos de trabalho não foram os melhores, como, por exemplo, o empregado para determinação da hemoglobina, pelo menos foram os mais exeqüíveis num trabalho de campo; Foi determinada a taxa de hemoglobina em 3.422 indivíduos, tendo sido encontrada a percentagem média de 58.3, que representa grupo anêmico, na classificação de Russell e colaboradores; A esplenometria foi feita pelo método de Hackett, em 3.440 indivíduos, tendo sido encontradas 141 esplenomegalias (4.1%); Amostras de sangue de 3.440 pessoas foram examinadas para pesquisa de plasmódio, tendo sido o índice de 1.2% de positividade. A espécie predominante foi P.vivax; Foram examinados espécimes fecais de 3.296 indivíduos para pesquisa de parasitos intestinais, tendo sido encontrados os seguintes percentuais para os principais helmintos: ancilostomídeos, 91.6; áscaris, 80.2; tricocéfalo, 55.1; oxiuros, 3.9; S. stercoralis, 3.5. Para E. histolytica e G. lamblia, entre os protozoários, foram obtidos os seguintes índices de infecção, respectivamente: 15.1% e 4.5%; Comparando com os resultados obtidos por um dos autores4 em outras localidades do Pará, a zona bragantina apresenta maior incidência de ancilostomídeos; O principal transmissor de Malária do país, A. darlingi, foi encontrado nas zonas rural do município de João Coelho e urbana de Igarapé-Açu; Foram capturados planorbídeos pertencentes às espécies Tropicorbis centimetralis e Drepanotrema anatium. Não foi encontrado nenhum caso de Esquitossomose. Convém frisar, entretanto, que não foi empregado nenhum método especializado para o diagnóstico de tal Parasitose. O encontro dos planóbideos tem importância, principalmente, quanto ao T. centimetralis, porque a zona bragantina é ponto de convergência de imigrantes procedentes das zonas endêmicas de Esquistossomose situadas no Nordeste brasileiro.pt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherMs/SVS/Instituto Evandro Chagaspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.titleInquérito parasitológico entre crianças, realizado em seis municípios da zona bragantina, Estado do Pará, em 1950 (Publicado originalmente em 1995)pt_BR
dc.typeCapítulo de Livropt_BR
dc.subject.decsPrimaryDoenças Parasitárias / diagnósticopt_BR
dc.subject.decsPrimaryDoenças Parasitárias / epidemiologiapt_BR
dc.subject.decsPrimaryDoenças Parasitárias / transmissãopt_BR
dc.subject.decsPrimaryVetores de Doenças / classificaçãopt_BR
dc.subject.decsPrimaryZona Bragantina (PA)pt_BR
dc.creator.affilliationMinistério da Educação e Saúde. Serviço Especial de Saúde Pública. Instituto Evandro. Programa do Pará. Belém, PA, Brasil.pt_BR
dc.creator.affilliationMinistério da Educação e Saúde. Serviço Especial de Saúde Pública. Instituto Evandro. Programa do Pará. Belém, PA, Brasil.pt_BR
dc.creator.affilliationMinistério da Educação e Saúde. Serviço Especial de Saúde Pública. Instituto Evandro. Programa do Pará. Belém, PA, Brasil.pt_BR


xmlui.dri2xhtml.METS-1.0.item-files-head

Thumbnail

xmlui.ArtifactBrowser.ItemViewer.head_parent_collections

xmlui.ArtifactBrowser.ItemViewer.show_simple