xmlui.ArtifactBrowser.ItemViewer.show_simple

dc.contributor.authorCosta, O. R-
dc.contributor.authorSilva, E. S-
dc.contributor.authorManeschy, L-
dc.contributor.authorCascaes, O. B-
dc.date.accessioned2018-09-28T16:51:57Z-
dc.date.available2018-09-28T16:51:57Z-
dc.date.issued2002-
dc.identifier.citationCOSTA , O. R. et al. Ação do iodeto de ditiazanina na estrongiloidose (Publicado originalmente em 1961). In: INSTITUTO EVANDRO CHAGAS (Belém). Memórias do Instituto Evandro Chagas, v. 7. Belém: Instituto Evandro Chagas, 2002. p. 273-285. (Produção científica, v. 7).pt_BR
dc.identifier.issn85-86784-08-7-
dc.identifier.urihttp://patua.iec.gov.br//handle/iec/3445-
dc.description.abstractOs autores, após tecerem algumas considerações a respeito da incidência da estrongiloidose no Brasil e dos vários métodos de tratamento anteriormente tentados em relação à infestação em causa, apresentam os resultados obtidos com a administração do iodeto de ditiazanina no combate ao Strongyloides stercoralis. Em 12 pacientes tratados, 11 apresentaram exames de fezes negativos após o tratamento, tendo sido realizados exames de três amostras de fezes de cada paciente, sempre com exame direto e emprêgo do método de Baermann em cada amostra. Relatam seis casos em que foram observadas manifestações de intolerância. A maioria dos pacientes recebeu uma dose total de 8,1g do iodeto de ditiazanina, em tratamento que teve a duração de 14 dias. Foram realizados hemogramas, exames de urina, e um grupo de provas de função hepática, antes e depois do tratamento, bem como nos pacientes de um grupo testemunha. Nas conclusões, os autores afirmam a eficácia do iodeto de ditiazanina no tratamento da estrongiloidose, chamando a atenção para a possibilidade de um tempo de duração do tratamento – 14 dias – mais curto do que os referidos pela maioria dos autores.pt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherMS/SVS/Instituto Evandro Chagaspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.titleAção do iodeto de ditiazanina na estrongiloidose (Publicado originalmente em 1961)pt_BR
dc.typeCapítulo de Livropt_BR
dc.subject.decsPrimaryDitiazanina / efeitos adversospt_BR
dc.subject.decsPrimaryDitiazanina / administração & dosagempt_BR
dc.subject.decsPrimaryDitiazanina / uso terapêuticopt_BR
dc.subject.decsPrimaryEstrongiloidíase / quimioterapiapt_BR
dc.subject.decsPrimaryStrongyloides stercoralis / isolamento & purificaçãopt_BR
dc.subject.decsPrimaryTrichuris / isolamento & purificaçãopt_BR
dc.subject.decsPrimaryFezes / parasitologiapt_BR
dc.subject.decsPrimaryBelo Horizonte (MG)pt_BR
dc.subject.decsPrimaryBelém (PA)pt_BR
dc.subject.decsPrimaryManaus (AM)pt_BR
dc.creator.affilliationMinistério da Educação e Saúde. Serviço Especial de Saúde Pública. Instituto Evandro. Belém, PA, Brasil.pt_BR
dc.creator.affilliationMinistério da Educação e Saúde. Serviço Especial de Saúde Pública. Instituto Evandro. Belém, PA, Brasil.pt_BR
dc.creator.affilliationMinistério da Educação e Saúde. Serviço Especial de Saúde Pública. Instituto Evandro. Belém, PA, Brasil.pt_BR
dc.creator.affilliationMinistério da Educação e Saúde. Serviço Especial de Saúde Pública. Instituto Evandro. Belém, PA, Brasil.pt_BR


xmlui.dri2xhtml.METS-1.0.item-files-head

Thumbnail

xmlui.ArtifactBrowser.ItemViewer.head_parent_collections

xmlui.ArtifactBrowser.ItemViewer.show_simple