xmlui.ArtifactBrowser.ItemViewer.show_simple

dc.contributor.authorFarias, Emmerson Carlos Franco de-
dc.contributor.authorCarvalho, Patrícia Barbosa de-
dc.contributor.authorNascimento, Luciana Maria Passos Pinto do-
dc.contributor.authorMello, Mary Lucy Ferraz Maria Fiuza de-
dc.contributor.authorSantana, Angélica de Abreu-
dc.contributor.authorDiniz, Susan Sales-
dc.contributor.authorPinheiro, Anna Paula Santos-
dc.contributor.authorCosta, Igor Brasil-
dc.date.accessioned2019-12-12T17:35:38Z-
dc.date.available2019-12-12T17:35:38Z-
dc.date.issued2019-
dc.identifier.citationFARIAS, Emmerson Carlos Franco de et al. Desempenho do Pediatric Risk of Mortality (PRISM) e Pediatric Index of Mortality 2 (PIM2) em unidade de terapia intensiva pediátrica terciária na Amazônia brasileira. Revista Pan-Amazônica de Saúde, v. 10, n. e201900080, 2019. Disponível em: http://scielo.iec.gov.br/pdf/rpas/v10/2176-6223-rpas-10-e201900080.pdf. Acesso em 12 dez 2019.pt_BR
dc.identifier.issn2176-6223-
dc.identifier.urihttp://patua.iec.gov.br//handle/iec/4000-
dc.description.abstractOBJETIVO: Avaliar o desempenho dos escores de mortalidade Pediatric Risk of Mortality (PRISM) e Pediatric Index of Mortality 2 (PIM2) na Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica (UTIP) Terciária da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará (FSCMPA). MATERIAIS E MÉTODOS: Estudo de coorte retrospectivo, incluindo pacientes admitidos na UTIP, entre janeiro de 2017 a abril de 2018, com permanência por mais de 8 h. Os critérios de exclusão foram: permanência superior a 90 dias; parada cardiorrespiratória sem estabilidade em 12 h; cuidados paliativos; e morte encefálica. Para calcular os sistemas de escores e desfecho, utilizou-se as variáveis Standardized Mortality Rate (SMR), calibração e discriminação, que foram comparadas pelos testes goodness-of-fit e curvas Receiver Operating Characteristic (ROC), respectivamente. RESULTADOS: Entre as 458 internações, 429 (93,7%) foram incluídas. A mortalidade geral foi de 17,5%, sendo que 64,0% eram menores de 2 anos de idade e 58,7% dos que evoluíram a óbito foram submetidos à ventilação mecânica por período maior que sete dias. A média de probabilidade de morte estimada do PRISM foi 9,85%, enquanto a média do PIM2 foi de 14,2%. O SMR foi de 1,35 (1,26–1,72) para o PRISM e de 1,23 (1,13–1,58) para o PIM2. A área sob a curva ROC foi de 0,89 (IC 95% 0,81–0,91) para o PRISM e 0,87 (IC 95% 0,83–0,91) para o PIM2. CONCLUSÃO: Na UTIP da FSCMPA, o PRISM e o PIM2 tiveram boa calibração e bom poder discriminatório. O SMR foi superior a um.pt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherMS/SVS/Instituto Evandro Chagaspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.titleDesempenho do Pediatric Risk of Mortality (PRISM) e Pediatric Index of Mortality 2 (PIM2) em unidade de terapia intensiva pediátrica terciária na Amazônia brasileirapt_BR
dc.title.alternativePerformance of the Pediatric Risk of Mortality (PRISM) and Pediatric Index of Mortality 2 (PIM2) in a tertiary pediatric intensive care unit in the Brazilian Amazonpt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.subject.decsPrimaryUnidades Hospitalares / organização & administraçãopt_BR
dc.subject.decsPrimaryUnidades de Terapia Intensiva Pediátrica / estatística & dados numéricospt_BR
dc.subject.decsPrimaryMedição de Riscopt_BR
dc.subject.decsPrimaryMortalidadept_BR
dc.subject.decsPrimaryBelém (PA)
dc.creator.affilliationHospital Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará. Departamento Pediatria. Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica. Belém, PA, Brasil.pt_BR
dc.creator.affilliationHospital Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará. Departamento Pediatria. Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica. Belém, PA, Brasil.pt_BR
dc.creator.affilliationHospital Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará. Departamento Pediatria. Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica. Belém, PA, Brasil.pt_BR
dc.creator.affilliationHospital Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará. Departamento Pediatria. Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica. Belém, PA, Brasil.pt_BR
dc.creator.affilliationHospital Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará. Departamento Pediatria. Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica. Belém, PA, Brasil.pt_BR
dc.creator.affilliationHospital Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará. Departamento Pediatria. Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica. Belém, PA, Brasil.pt_BR
dc.creator.affilliationHospital Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará. Departamento Pediatria. Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica. Belém, PA, Brasil.pt_BR
dc.creator.affilliationMinistério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Instituto Evandro Chagas. Laboratório Epstein-Barr Vírus. Ananindeua, PA, Brasil.pt_BR
dc.identifier.doi10.5123/S2176-6223201900080-


xmlui.dri2xhtml.METS-1.0.item-files-head

Thumbnail

xmlui.ArtifactBrowser.ItemViewer.head_parent_collections

xmlui.ArtifactBrowser.ItemViewer.show_simple