xmlui.ArtifactBrowser.ItemViewer.show_simple

dc.contributor.advisorVianez Júnior, João Lídio da Silva Gonçalvespt_BR
dc.contributor.authorVidal, Ana Paula Fernandes Figueiredopt_BR
dc.date.accessioned2020-08-27T13:27:20Z-
dc.date.available2020-08-27T13:27:20Z-
dc.date.issued2019-
dc.identifier.citationVIDAL, Ana Paula Fernandes Figueiredo. Síndrome congênita do Zika e má nutrição proteica materna: avaliação da expressão diferencial de microRNAs no sistema nervoso central. 75 f. Dissertação (Mestrado em Virologia) - Instituto Evandro Chagas, Programa de Pós-Graduação em Virologia, Ananindeua, 2019.pt_BR
dc.identifier.urihttp://patua.iec.gov.br//handle/iec/4164pt_BR
dc.description.abstractApesar da pandemia de Zika no Continente Americano, a síndrome congênita do zika (SCZ) apresentou-se de uma forma assimétrica, com maior incidência no Brasil, especialmente em áreas com piores condições sócio econômicas. Fatores socioeconômicos e má nutrição se correlacionam, e a carência proteica é apontada como o tipo mais prejudicial de desnutrição em países em desenvolvimento. Adicionalmente, a desnutrição proteica isoladamente está associada à má formação cerebral. Diante disso, o estudo do perfil de miRNAs surge como uma ferramenta para compreender a neuropatogênese do ZIKV, e fornecer evidências se a desnutrição proteica é um cofator para a SCZ. Desta forma, avaliou-se a expressão diferencial de miRNAs em cérebros fetais de camundongos após infecção materna pelo ZIKV associado ao tipo de aporte nutricional proteico. Para isso, foram separados dois grupos de camundongos fêmeas, com base na dieta. O grupo controle (CD) recebeu uma dieta com 20% de proteínas, e o grupo desnutrido (LP), com 6% de proteínas, antes do acasalamento e na gestação. No dia embrionário 12 (E12), os animais receberam injeção intraperitoneal de 106 unidades formadoras de placas do ZIKV ou o sobrenadante de células C6/36 não infectados, formando 4 grupos: CD_ mock (dieta controle, não infectado), CD_ZIKV (dieta controle, infectado pelo ZIKV), LP_Mock (dieta com baixo teor de proteína, não infectado) e LP_ZIKV (dieta com baixo teor de proteína, infectado pelo ZIKV), com 5 animais em cada grupo. No E15 (dia embrionário 15), os encéfalos dos fetos foram removidos, e o RNA total foi extraído, quantificado e analisado quanto a integridade. As amostras seguiram para síntese de bibliotecas de miRNAs, sequenciamento, identificação e análise da expressão diferencial de miRNAs por bioinformática. Os alvos foram preditos e analisados quanto ao enriquecimento dos grupos gênicos de vias moleculares e processos biológicos. Observou-se que a infecção alterou a expressão de miR-5122 apenas, enquanto o sinergismo entre infecção pelo ZIKV e desnutrição proteica provocou a desregulação na expressão de 15 miRNAs: miR-702-3p, miR-485-3p, miR-7046-3p, miR-770-3p, miR-3059-5p, miR-296-5p, miR-3102-3p, miR-129-5p, miR-5122, miR-490-3p, miR-466h-3p, miR- 770-5p, miR-760-5p, miR-150-5p e miR-3063-3p. Esses miRNAs demonstraram participar do controle de diversas vias e processos biológicos, principalmente os relacionados à morte neuronal, neuroinflamação e mecanismos complexos do neurodesenvolvimento, incluindo orientação de axônios, sinaptogênese e comunicação por neurotransmissores. Estes resultados ratificam o fenótipo microcefálico encontrado apenas nos animais LP_ZIKV. Coletivamente, esses dados apontam que a desnutrição proteica materna associada a infecção congênita pelo ZIKV, desencadeia alterações significativas na expressão de miRNAs, que estão implicados na patogênese da SCZ.pt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherMS/SVS/Instituto Evandro Chagaspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.titleSíndrome congênita do Zika e má nutrição proteica materna: avaliação da expressão diferencial de microRNAs no sistema nervoso centralpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.subject.decsPrimaryZika virus / patogenicidadept_BR
dc.subject.decsPrimaryMicrocefaliapt_BR
dc.subject.decsPrimaryGravidez / genéticapt_BR
dc.subject.decsPrimaryMicroRNAs / genéticapt_BR
dc.subject.decsPrimaryDeficiência de Proteínapt_BR
dc.creator.affilliationMinistério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Instituto Evandro Chagas. Programa de Pós-Graduação em Virologia. Ananindeua, PA, Brasil.pt_BR
dc.degree.grantorInstituto Evandro Chagaspt_BR
dc.degree.levelMestrado Acadêmicopt_BR
dc.contributor.memberNunes, Márcio Roberto Teixeirapt_BR
dc.contributor.memberRamos, Aline Maria Pereira Cruzpt_BR
dc.contributor.memberOliveira, Layanna Freitas dept_BR
dc.degree.departmentNúcleo de Ensino e Pós-Graduaçãopt_BR
dc.degree.programPrograma de Pós-Graduação em Virologiapt_BR
dc.degree.date2019-06-27-
dc.degree.localAnanindeua / PApt_BR


xmlui.dri2xhtml.METS-1.0.item-files-head

Thumbnail

xmlui.ArtifactBrowser.ItemViewer.head_parent_collections

xmlui.ArtifactBrowser.ItemViewer.show_simple