xmlui.ArtifactBrowser.ItemViewer.show_simple

dc.contributor.advisorVasconcelos, Pedro Fernando da Costapt_BR
dc.contributor.authorAquino, Ana Alicept_BR
dc.date.accessioned2020-12-16T13:24:12Z-
dc.date.available2020-12-16T13:24:12Z-
dc.date.issued2019-
dc.identifier.citationAQUINO, Ana Alice. Estudo da ativação do inflamassoma em células endoteliais de cordão umbilical humano (linhageam EA.hy926) durante a infecção experimental pelo vírus Zika. 55 f. Dissertação (Mestrado em Virologia) - Instituto Evandro Chagas, Programa de Pós-Graduação em Virologia, Ananindeua, 2019.pt_BR
dc.identifier.urihttp://patua.iec.gov.br//handle/iec/4213-
dc.description.abstractO vírus Zika (ZIKV) é um arbovírus pertencente à família Flaviviridae e ao gênero Flavivirus. A zika é uma doença febril aguda caracterizada por febre, erupção cutânea maculopapular, artralgia e edema de membros. Em 2015, quando chegou ao Brasil, o ZIKV causou a sua maior epidemia e surpreendeu pela habilidade de causar danos ao sistema nervoso central, incluindo um elevado número de casos de microcefalia no Nordeste do país. A patogenia induzida pelo ZIKV ainda não está esclarecida, bem como a sua interação com as células que compõem a interface materno-fetal. A resposta imune inata exerce importante função na determinação do curso da infecção viral e tem início com o reconhecimento de padrões virais e/ou danos celulares por receptores de reconhecimento de padrões resultando em resposta antiviral e inflamatória. A ativação do inflamassoma vem ganhando reconhecimento como um importante mecanismo de proteção diante das infecções virais. Assim, o presente estudo avaliou se o ZIKV é capaz de induzir a ativação do inflamassoma em cultura de células endoteliais de cordão umbilical humano (linhagem EA.hy926) através da detecção dos níveis de caspase-1. Células EA.hy926 foram infectadas utilizando dois isolados do ZIKV (BeH818305 e BeH815744) (MOI 0,01) e as análises foram realizadas nos períodos de 24, 36 e 48 horas pós-infecção. Como resultados observou-se considerável efeito citopático celular em 48 horas pós-infecção, aumento nos níveis de ativação de caspase-1 também em 48 horas pós-infecção pelo isolado viral BeH818305 e diminuição da viabilidade celular para ambos os vírus de forma tempo-dependente de infecção. Estudos adicionais são necessários para identificação dos receptores envolvidos e caracterização do perfil imunológico de resposta.pt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherInstituto Evandro Chagaspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.titleEstudo da ativação do inflamassoma em células endoteliais de cordão umbilical humano (linhageam EA.hy926) durante a infecção experimental pelo vírus Zikapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.subject.decsPrimaryZika virus / isolamento & purificaçãopt_BR
dc.subject.decsPrimaryInfecção por Zika viruspt_BR
dc.subject.decsPrimaryCélulas Endoteliaispt_BR
dc.subject.decsPrimaryCarga Viralpt_BR
dc.subject.decsPrimaryCaspase 1pt_BR
dc.creator.affilliationMinistério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Instituto Evandro Chagas. Programa de Pós-Graduação em Virologia. Ananindeua, PA, Brasil.pt_BR
dc.degree.grantorInstituto Evandro Chagaspt_BR
dc.degree.levelMestrado Acadêmicopt_BR
dc.contributor.memberCruz, Ana Cecília Ribeiropt_BR
dc.contributor.memberSantos, Flávia Barreto dospt_BR
dc.contributor.memberQuaresma, Juarez Antônio Simõespt_BR
dc.degree.departmentNúcleo de Ensino e Pós-Graduaçãopt_BR
dc.degree.programPrograma de Pós-Graduação em Virologiapt_BR
dc.degree.localAnanindeua / PApt_BR


xmlui.dri2xhtml.METS-1.0.item-files-head

Thumbnail

xmlui.ArtifactBrowser.ItemViewer.head_parent_collections

xmlui.ArtifactBrowser.ItemViewer.show_simple