xmlui.ArtifactBrowser.ItemViewer.show_simple

dc.contributor.advisorMedeiros, Daniele Barbosa de Almeidapt_BR
dc.contributor.authorMoraes, Adriana Freitaspt_BR
dc.date.accessioned2020-12-16T14:36:09Z-
dc.date.available2020-12-16T14:36:09Z-
dc.date.issued2016-
dc.identifier.citationMORAES, Adriana Freitas. Padronização de método imunoenzimático para detecção de anticorpos anti-Hantavírus em roedores silvestres. 56 f. Dissertação (Mestrado em Virologia) - Instituto Evandro Chagas, Programa de Pós-Graduação em Virologia, Ananindeua, 2016.pt_BR
dc.identifier.urihttp://patua.iec.gov.br//handle/iec/4216-
dc.description.abstractA Síndrome Cardiopulmonar por Hantavírus é uma antropozoonose grave, com taxa de letalidade entre 40% a 60%, e que ocorre somente no continente Americano. Com o objetivo de detectar anticorpos anti-hantavírus em amostras biológicas de roedores silvestres o Instituto Evandro Chagas (IEC) desenvolveu uma proteína recombinante baseada na sequência do gene N de hantavírus circulantes na Amazônia, visando à padronização de um método imunoenzimático (ELISA). Para isso, foram selecionadas 20 amostras sabidamente positivas e 20 amostras sabidamente negativas de roedores silvestres capturados durante estudos eco-epidemiológicos realizados pelo IEC com intuito de estabelecer os valores de sensibilidade, especificidade, valores preditivos positivos e negativos, acurácia e curva ROC do protocolo de ELISA indireto, onde foi utilizado duas proteínas recombinantes de hantavírus, HTN-CONS e HTN-120, e antígeno negativo (proteína recombinante TOP7). Os desempenhos das proteínas recombinantes foram comparados ao protocolo de ELISA do antígeno ANDES utilizado na rotina. Posteriormente, 419 amostras de roedores silvestres capturados na área da Vale do Rio Doce, foram testadas por cegamento tanto pelo ELISA ANDES quanto pelo ELISA HTN-CONS. A concentração dos antígenos recombinantes HTN-CONS, HTN-120 e TOP7 foi 4µg/ mL e a concentração final do conjugado foi de 1:500. O teste apresentou 100% de sensibilidades para ambas proteínas(HTN- CONS/ 120) e 100% de especificidade para a proteína HTN-CONS e 95,83% para a HTN-120. A analise da curva ROC, mostrou que o ELISA HTN-120 obteve melhor desempenho (0,15). As amostras pertencentes ao projeto Vale do Rio Doce, foram negativas para os dois antígenos (HTN- CONS e ANDES). Por fim, concluí-se que o protocolo de ELISA HTN-CONS apresentou a mesma sensibilidade/especificidade que ELISA ANDES e que o ELISA HTN-120 obteve uma sensibilidade um pouco maior que os ELISA HTN-CONS/ ANDES. Mais estudos tornam-se necessários para definir se há a circulação de hantavírus na área da Vale do Rio Docept_BR
dc.description.sponsorshipFapespapt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherMS/SVS/Instituto Evandro Chagaspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.titlePadronização de método imunoenzimático para detecção de anticorpos anti-Hantavírus em roedores silvestrespt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.subject.decsPrimaryHantavirus / isolamento & purificaçãopt_BR
dc.subject.decsPrimaryInfecções por Hantaviruspt_BR
dc.subject.decsPrimarySíndrome Pulmonar por Hantavirus / patologiapt_BR
dc.subject.decsPrimaryEnsaio de Imunoadsorção Enzimática / métodospt_BR
dc.subject.decsPrimaryRoedorespt_BR
dc.creator.affilliationMinistério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Instituto Evandro Chagas. Programa de Pós-Graduação em Virologia. Ananindeua, PA, Brasil.pt_BR
dc.degree.grantorInstituto Evandro Chagaspt_BR
dc.degree.levelMestrado Acadêmicopt_BR
dc.contributor.advisorcoVasconcelos, Pedro Fernando da Costapt_BR
dc.contributor.memberCasseb, Alexandre do Rosáriopt_BR
dc.contributor.memberRosa, Elizabeth Salbé Tavassos dapt_BR
dc.contributor.memberSouza, Rita Catarina Medeirospt_BR
dc.degree.programPrograma de Pós-Graduação em Virologiapt_BR
dc.degree.localAnanindeua / PApt_BR


xmlui.dri2xhtml.METS-1.0.item-files-head

Thumbnail

xmlui.ArtifactBrowser.ItemViewer.head_parent_collections

xmlui.ArtifactBrowser.ItemViewer.show_simple